Notícias
Psoríase | O que é a psoríase e como tratar?

O que é a psoríase e como tratar?

O que é psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória da pele caracterizada por lesões de tamanhos variados, delimitadas, avermelhadas e com escamas secas esbranquiçadas, que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos. Em alguns casos essas lesões podem coçar, causar dor e atingir diversas partes do corpo, porém é mais comum que surjam em áreas como cotovelos, joelhos, unhas, axila e virilha. A doença não tem cura, porém existe tratamento, que pode ser feito com uso de cremes e pomada.

Quais as causas da psoríase?

A doença, que tem causa genética, aparece geralmente em duas fases da vida: jovens adultos em torno de 20 anos e em pessoas mais madura, acima dos 60. A psoríase costuma aparecer depois de momentos de estresse e períodos de baixa imunidade. Exposição ao frio, uso de determinados medicamentos e ingestão alcoólica pioram o quadro.

Na psoríase ocorre um processo de dilatação de vasos sanguíneos e o aumento no número de glóbulos brancos, que avançam para camadas mais externas da pele de forma muito rápida, provocando lesões avermelhadas. Trata-se de um ciclo ininterrupto, que só tem fim com o tratamento adequado.

Quais são os tipos de psoríase que existem?

Existem diversos tipos de psoríase, que diferenciam-se de acordo com a localização das lesões.

    • Psoríase Vulgar ou em placas: é o tipo mais comum da doença. Se apresenta em forma de lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas e esbranquiçadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos, e que podem ou não coçar.
    • Psoríase Invertida: atinge principalmente as áreas mais úmidas do corpo, como axilas, virilha, a região embaixo dos seios e ao redor dos órgãos genitais. Esse tipo de psoríase se manifesta na forma de lesões em tom vermelho-vivo, lisas e brilhantes.
    • Psoríase Pustulosa: este é um dos tipos mais raros da doença, em que aparecem lesões nos pés e mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo. Elas se desenvolvem formando bolhas de pus, que podem ocasionar febre, calafrios, fadiga e coceira intensa.
    • Psoríase Eritrodérmica: também é um tipo raro da doença, em que 75% do corpo é coberto com manchas vermelhas que podem coçar ou arder de forma intensa.
    • Psoríase Ungueal: trata-se de depressões puntiformes ou manchas amareladas nos dedos e unhas das mãos e dos pés. A doença faz com que a unha cresça de forma anormal e escame.
    • Psoríase Artropática: caracteriza-se pela inflamação na pele e descamação. A psoríase artropática ou artrite psoriásica também é caracterizada por fortes dores nas articulações e pode causar rigidez progressiva.
    • Psoríase Palmo-plantar: as lesões apresentam-se como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

Quais os fatores de risco da psoríase?

Alguns fatores podem contribuir para que um indivíduo apresente a psoríase, entre eles:

      • Histórico familiar: a condição genética é o principal fator de risco para a psoríase. Quanto mais familiares diagnosticados com a doença o paciente tiver, maiores são as chances de desenvolver a doença.
      • Infecção bacteriana ou viral: pessoas que apresentam quadros constantes de infecção têm mais chances de serem diagnosticadas com psoríase.
      • HIV/Aids: pessoas com Aids ou portadoras do vírus HIV têm deficiência no sistema imunológico e apresentam predisposição para a doença.
      • Estresse e alteração hormonal: podem impactar o sistema imunológico.
      • Obesidade
      • Fumo

Quais os sintomas da psoríase?

Os sintomas da doença variam de pessoa para pessoa, mas em geral incluem os seguintes quadros:

      • Lesões avermelhadas e esbranquiçadas na pele, cobertas com uma camada descamativa.
      • Pele seca, com facilidade para sangramentos.
      • Unhas espessas, amareladas, descoladas e fracas.
      • Articulações rígida, doloridas e inchadas.
      • Placas e descamações no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

Diagnóstico da psoríase

Ao primeiro sinal de qualquer um dos sintomas relatados acima, é necessário se consultar com um dermatologista, que fará um exame físico analisando os aspectos da pele, unhas e couro cabeludo e verificando se os sintomas realmente representam psoríase. Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Antes de ir ao consultório, liste todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram.

O médico também pode levar em conta o histórico familiar do paciente, bem como pedir uma biópsia da pele afetada para confirmar o diagnóstico.

Quais os tratamentos de psoríase?

Como já dissemos anteriormente, a doença não tem cura. Porém, existem diversos tipos de tratamento que ajudam a reduzir a inflamação e formação das placas, além de regular e normalizar a aparência da pele.

Após o diagnóstico, em casos leves da doença, o dermatologista pode indicar diferentes formas de tratamento: uso de medicação local (cremes e pomadas), hidratação da pele e exposição da pele ao Sol.

Já os pacientes que apresentam formas de psoríase mais graves frequentemente necessitam de medicamentos sistêmicos, de uso via oral, subcutâneo, intramuscular ou intravenoso. Eles também são indicados nos casos em que apenas com o tratamento tópico não se obteve o resultado esperado.

A psoríase é contagiosa?

A psoríase não é contagiosa, pois trata-se de uma doença do sistema imunológico.

Como conviver com a psoríase?

A psoríase pode ser controlada com tratamento, mas também pode desaparecer por algum tempo e depois voltar. Algumas dicas podem ajudar a aliviar os sintomas:

Alimentação saudável

Ter uma dieta saudável pode ajudar a prevenir novas crises da doença, colabora no bom funcionamento do organismo e previne o sobrepeso. A ingestão de frutas, legumes, verduras, cereais integrais e carnes magras é fundamental.

Evitar o estresse

O estresse é um ativador comum da psoríase. Embora nem sempre seja possível evitar o estresse, ter consciência dele pode ajudar. Para isso, você precisa identificar possíveis causas de estresse que possam ter desencadeado reações anteriores, para evitá-las ou lidar com elas de maneira mais construtiva no futuro. Procure buscar atividades para relaxar, fazer meditação ou ioga.

Cuidado com produtos e medicamentos

Alguns medicamentos ou produtos para a pele podem interferir diretamente nos sintomas da psoríase. Então, é importante sempre consultar e informar ao médico os remédios e cosméticos de que você faz uso, para que se verifique qual pode ser a opção empregada para tratar os problemas sem que os efeitos de ambos sejam prejudicados ou causem algum dano ao paciente.

Como prevenir a psoríase?

Não há uma maneira conhecida de prevenir a psoríase, mas é possível adotar algumas medidas para evitar que as crises ocorram:

        • Hidratar a pele: pessoas com psoríase devem usar hidratantes corporais indicados pelo médico, várias vezes ao dia, principalmente nas áreas onde costumam aparecer as lesões.
        • Exposição solar: é permitido que os pacientes com psoríase se exponham ao Sol nos horários indicados (das 7h às 10h ou após as 16h). Cerca de 10 minutos já são suficientes para aproveitar o efeito anti-inflamatório do Sol.
        • Banhos mornos e rápidos: o paciente com psoríase não deve tomar banhos muito quentes. Quanto ao sabonete, os neutros são os mais indicados.
        • Roupas confortáveis: roupas muito justas ou que não sejam de algodão podem impedir que a pele transpire normalmente, favorecendo a proliferação de fungos.

A Dra. Kaliandra é dermatologista no Rio de Janeiro , e oferece tratamentos para a psoríase e outras doenças. Seu consultório fica na Avenida Rio Branco, 185 – Sala: 403/404 – Centro, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 3199-0400. Agende sua consulta!

Deixe um comentário!

9 Comentários

  1. Vanessa Alves says:

    Gostaria de saber como descubro o motivo de ter desencadeado a psoríase? Obrigada.

    • editorfizzy says:

      Olá, somente um dermatologista poderá avaliar o caso e indicar os tratamentos e tirar suas dúvidas.
      Caso queira agenda uma consulta, entre em contato pelo telefone.
      (21) 2286-1692
      Rua Real Grandeza, 108 – Sala 201
      Botafogo, Rio de Janeiro

  2. Nilceia nascimento says:

    Minha filha tem essa doença no couro cabeludo que escama, queria saber se tem remédio caseiro? E quais são e tá se evoluindo por todo couro cabeludo. Me ajuda por favor.

    • editorfizzy says:

      Olá, para mais informações entre em contato e agende uma consulta!
      Rua Real Grandeza, 108 – Sala 201
      Botafogo, Rio de Janeiro

      (21) 2286-1692

  3. thais kaine says:

    Oi td bem gostei muito de saber sobre essa downca porque eu acho qye o mey pai tem mais nenhum medico da minha cidade conseguiu e diagnostica o que tem

  4. thais laine says:

    Oi td bem gostei muito de saber sobre essa downca porque eu acho qye o mey pai tem mais nenhum medico da minha cidade conseguiu e diagnostica o que tem

  5. Jorlene says:

    Gostei muito de suas explicaçoes

  6. Welma says:

    Pra fui muito triste descobri que tenho psuriase pois minha mae tem e dissero que não e genético mais lendo a matéria vir que e ereditari muito obrigado pro mim fazer entender

  7. marcelo says:

    OI.

    Parece incrível, mas creio que descobri a cura para a coceira advinda da psoríase.
    Quando começar coçar, passe o secador de cabelo por aproximadamente 1 minuto sobre a área afetada. As bolinhas de água provém do suor. O secador as evapora.

    Tem resolvido para mim.
    Há anos eu tinha isso e tomei chá por quase 2 anos na tentativa de diminuir os efeitos desintoxicando figado e rim.

    Não sei se os chás fizeram efeito, ou foi o secador de cabelo.
    Antes de descobrir a técnica do secador de cabelo, percebi que os chás haviam diminuído aproximadamente 60% dos sintomas da psoríase. Sempre coçava um pouquinho. Esse pouquinho desapareceu quando, ao invés de coçar, comecei passar o secador.

    Se tiver coçando muito, alivie com o secador bem quente, mas não demore muito para não se queimar. É um alívio. Esse alívio dura.

    Boa Sorte meus caros

Comente

Whatsapp