Notícias
Mulher deitada com toalha na cabeça | Cuidados com a pele negra feminina

Cuidados com a pele negra feminina

As mulheres de pele negra têm uma ajudinha da genética, já que, por apresentarem um alto nível de melanina e colágeno, são mais resistentes ao Sol e ao envelhecimento. Mas se engana quem pensa que a pele negra feminina não precisa de cuidados. Essa cútis merece atenção especial para que não sofra com problemas como manchas no rosto, oleosidade e foliculite.

Características da pele negra

A pele negra apresenta uma característica única: maior produção de melanina, responsável pela pigmentação da pele. Esse fato diminui a propensão ao câncer de pele, pois a melanina funciona como um protetor solar natural. Outra característica deste fotótipo é que as camadas cutâneas estão fortemente unidas em uma estrutura rígida que as tornam mais firmes e resistentes do que as da pele branca, minimizando o aparecimento de rugas, flacidez e celulite.

Sensibilidade

A maior produção de melanina, apesar de proteger contra os malefícios do Sol, aumenta também a possibilidade de pigmentação, deixando a pele negra feminina mais propensa a manchas. Isso porque ela tende a escurecer e a produzir mais pigmento quando sofre qualquer forma de agressão, como uma cirurgia, uma queimadura ou mesmo um procedimento cosmético.

Oleosidade

A pele negra pode ser de todos os tipos: normal, mista, seca e oleosa. No entanto, a oleosa é a mais comum, já que a secreção das glândulas sudoríparas é maior nesse tipo de pele, tornando-a assim por natureza. Isso favorece o surgimento de acne e foliculite. Portanto, um cuidado indispensável para manter a saúde e a vitalidade da pele negra é a limpeza diária com um sabonete específico. É preciso caprichar na higienização, tanto de manhã quanto à noite, antes de dormir, para que o produto retire o excesso de sebo e desobstrua os poros, que podem causar acnes e espinhas se não forem limpos adequadamente. A dica é optar pelo sabonete em gel, que é mais leve, prático e também ajuda a controlar a oleosidade.

Foliculite

O excesso de oleosidade e a presença de pelos encaracolados facilita o surgimento de pelos encravados, que podem inflamar e evoluir para uma foliculite. Muitas vezes, a foliculite é confundida com espinhas, e pode causar manchas. Para evitar o problema, a orientação é fazer, semanalmente, uma esfoliação física nos locais mais afetados. Vale também abusar da hidratação da pele, principalmente após a depilação com cera ou lâmina de barbear.

Manchas na pele negra

Dentre as patologias mais comuns da pela negra está a chamada dermatose papulosa nigra, lesões que se assemelham a pequenos pontos elevados, acastanhados a negros, que surgem na face. Melasmas também são comuns nestas pessoas, geralmente causados por radiação solar, gestação ou uso de anticoncepcionais.

Hidratação para pele negra

A pele negra feminina tem maior probabilidade de ficar descamada, ressecada e esbranquiçada. E o ressecamento em graus elevados pode causar coceiras, feridas e até sangramentos. Por isso, a hidratação precisa virar um hábito e fazer parte dos cuidados diários, para se ter uma pele macia e sedosa. As fórmulas especialmente desenvolvidas para a pele negra geralmente levam componentes como karité, macadâmia, cupuaçu e cacau, pois possuem propriedades emolientes de fácil absorção, promovem a elasticidade da pele e previnem inflamações.

Tratamentos estéticos para pele negra

No passado, as técnicas e procedimentos estéticos eram indicados com cautela para as peles negras. Hoje, as técnicas encontram-se bem mais estabelecidas e seguras para esses pacientes, desde que sejam observados os cuidados após a realização dos procedimentos, sempre com acompanhamento médico. Os peelings mais indicados são os superficiais, e a luz pulsada deve ser feita com equipamentos específicos para a pele negra, que agridem menos.

Maquiagem para pele negra

Em relação à maquiagem para negras, primeiro é preciso conhecer como é a sua pele. Da mesma forma que a clara, a pele negra é classificada em três tons: claro, médio e escuro. Também é fundamental saber se o tom da sua pele é quente (avermelhado) ou frio (esverdeado). Independente das cores e texturas de cada pessoa, o melhor é usar produtos feitos especificamente para peles negras. Eles serão a garantia de que sua pele estará protegida e cuidada em suas nuances. Certifique-se de que os produtos sejam indicados para peles oleosas, principalmente a base, assim você evita que a aparência de óleo do seu rosto aumente ainda mais.

E claro, que depois de todo esse make, é imprescindível tirá-lo para dormir com o rosto limpo. Dormir com excesso de maquiagem acelera o envelhecimento da pele, obstrui os poros e auxilia no aparecimento de espinhas e acnes. Prefira um demaquilante bifásico para região dos olhos, e um demaquilante free para o restante do rosto.

Maior tendência a queloides

Quanto mais melanina na pele, maior o risco de desenvolver queloide no processo de cicatrização de feridas e cirurgias. Queloides nada mais são do que uma cicatrização exagerada, que forma uma fibrose, um alto relevo. Os tratamentos vão de curativos oclusivos à base de corticoides até betaterapia. Só um dermatologista pode avaliar do que você precisa.

Cosméticos para a pele negra

A pele negra feminina tende a apresentar rugas e linhas de expressão mais tarde do que as peles mais claras. Por isso, os cremes anti-idade podem começar a ser aplicados por volta dos 40 anos ao invés dos 25 ou 30, que é quando, normalmente, começam os sinais de envelhecimento. A dica é incluir os produtinhos antirrugas na rotina logo quando aparecerem as primeiras linhas finas ao redor da boca e dos olhos, além dos sinais de flacidez. Antes de comprar um produto na farmácia, converse com seu dermatologista.

Alopecia (queda de cabelos)

A alopecia, conhecida também como queda de cabelos, é muito comum em quem tem pele negra. Suspeita-se que a química usada para o alisamento dos cabelos há tempos colabore com esse prob. Observa-se diminuição ou ausência das aberturas foliculares no couro cabeludo, que passa a ter aspecto brilhante.

Ao primeiro sintoma de queda de cabelo desenfreada, é importante consultar um dermatologista para fazer uma avaliação, e, se for o caso, posteriormente diagnosticar a doença. O tratamento tópico inclui o uso do minoxidil, vitaminas, antibióticos, antifúngicos e de corticosteroides.

Proteção solar para a pele negra

Como dissemos, a pele negra possui um alto nível de melanina, o que promove uma proteção natural contra o Sol, além de reduzir a propensão aos tumores cutâneos, minimizando o fotoenvelhecimento. Porém, um dos maiores erros das pessoas é pensar que a proteção solar é dispensável à pele negra. Esse tipo de pele tem predisposição à hiperpigmentação. Diferentemente da pele branca, as peles morena e negra não ficam avermelhadas quando expostas ao Sol em excesso e, por isso, as mulheres têm a impressão de que não estão sendo prejudicadas.

A Dra. Kaliandra é dermatologista no Rio de Janeiro, e oferece tratamentos para a pele negra feminina e outros tipos de pele. Seu consultório fica na Rua Real Grandeza, 108, sala 201, Botafogo – Rio de Janeiro/RJ.

Deixe um comentário!

2 Comentários

  1. Marlene Novenas rosa says:

    Tenho uma filha que tem 15 anos. Minha filha é negra, no momento encontra-se com a pele dá face muito prejudicada. Precisa de avaliação. Obrigada!

    • editorfizzy says:

      Olá, somente um dermatologista poderá avaliar o caso e indicar os tratamentos e tirar suas dúvidas.
      Caso queira agenda uma consulta, entre em contato pelo telefone.
      (21) 2286-1692
      Rua Real Grandeza, 108 – Sala 201
      Botafogo, Rio de Janeiro

Comente

Whatsapp